Reflexões / Matutações

Levi

16/08/2017

Meus olhos, ávidos, só viam o metal,

Minha vida nele se resumia e se consumia

Naquilo que imaginava ser

Meu tesouro e sentido...

 

Meus dedos tocavam o ouro

Prazer e felicidade pensava possuir

O frio metal que pesava

Ofuscava meus olhos...

 

Passavas e parastes em minha banca,

Ouvi o meu nome chamar.

Meus olhos levantei e vi

Ah! Os seus olhos...

 

Olhando dissestes para segui-lo

Nada prometias: vem!

Olhei para aqueles olhos,

Meu tesouro estava ali...

 

Num salto segui sem relutar,

Troquei o que pensava possuir,

Quando era possuído,

Pelo amor que vi em seus olhos...

 

Perguntaram-me por quê?

Uma vida fácil estava ali!

Respondo com alegria

Foram aqueles olhos...

 

Ah! Os seus olhos...

 

 

Autor: Tácito Coutinho - Tatá - Moderador do Conselho da Comunidade Javé Nissi

Deixe seu comentário

Últimas


O farisaísmo é “um caminho segundo a carne” - 18/10/2017

O fermento dos fariseus - 17/10/2017

Os tempos atuais não são fáceis.. - 16/10/2017