Reflexões / Matutações

Carismas

08/06/2017

Ainda matutando sobre os carismas e encontrei um texto de Santo Hilário de Poitiers - 367, doutor da Igreja: “Os carismas, utilizados de modo apropriado, produzem muitos frutos, pois estes dons penetram-nos como chuva suave e, pouco a pouco, produzem frutos abundantes”. Ele está convencido que os carismas fazem diferença e são eficazes na missão da Igreja e na vida da comunidade cristã. Encontrei em São Cirilo de Jerusalém – 337 a mesma opinião.

 A manifestação do Espírito Santo através dos carismas não acontece somente a pessoas muito “ungidas, especiais, santas e místicas”. Isto não é verdadeiro. Se fosse assim, cairíamos no absurdo de dizer que o Espírito Santo só é dado a estas pessoas! Como é o próprio Espírito de Deus que nos faz santos, essa afirmação é, no mínimo, realmente “estranha”. Todo batizado é chamado à santidade e ao serviço aos irmãos. Para cumprirmos este chamado de Deus, precisamos dos carismas e dos dons do Espírito que habita em nós!

 Na casa de Cornélio, Pedro disse: “Em verdade, reconheço que Deus não faz distinção de pessoas” - At 10,34. O Espírito Santo é derramado sobre todo que crer! Assim os carismas não são reservados somente aos perfeitos. Porém, faz-se necessária uma união profunda com Cristo - Jo 15,4, uma comunhão autêntica com Deus, uma união de fazer querer em tudo o que Deus quer.

 São Paulo escrevendo a comunidade de Corinto afirma que “a respeito dos dons espirituais não vivamos na ignorância” - 1Cor 12,1. Isso nos faz considerar a importância do conhecimento dos carismas e de como devemos usá-los.

 O Apóstolo ainda insiste em dizer que “a um é dado... a outro...” Isto quer dizer que os carismas são distribuídos, podemos dizer, a toda comunidade para sua edificação, não existindo nela (comunidade) alguém que não seja “carismático”.

 Nós não podemos separar os carismas do amor, não podemos viver uma vida carismática sem trilharmos o “caminho mais excelente de todos” que é a caridade, o exercício concreto do amor como caminho de santificação e vivência do Evangelho. São Paulo nos manda “aspirar” aos dons espirituais, mas igualmente “empenhar-nos na busca da caridade” - 1Cor 14,1, isto é, colaborar vivencialmente, concretamente, com a ação do Espírito Santo.

 A vivência concreta de tudo fazer no amor a Deus e ao próximo, não significa que os carismas não são necessários. O que São Paulo quer nos dizer é que os carismas exercidos sem amor não servem para nada. “Não basta o amor para edificar a Igreja de Deus, necessita-se também das ferramentas que se usarão com amor” - Pe. Philippe, o.s.b.

Autor: Tácito Coutinho - Tatá - Moderador do Conselho da Comunidade Javé Nissi

Deixe seu comentário

Últimas


Conversão - 15/12/2017

O conteúdo do Natal nos Padres da Igreja - 14/12/2017

Perdemos o senso do Natal! - 13/12/2017