Reflexões / Matutações

"não posso fazer milagres"

27/04/2017

”Também, não posso fazer milagres, não sou santo”! Ouvi como desabafo de um irmão de comunidade diante de uma contrariedade causada por algo que não “deu certo”. Acredito que todos nós já ouvimos coisa semelhante, ou mesmo, já falamos algo assim...

Fiquei matutando que esta expressão, "não posso fazer milagres”, não é totalmente correta, porque, na realidade, o Espírito pode operar milagres através de mim, sendo eu batizado e morada deste mesmo Espírito, ainda que não tenha atingido a “santidade dos altares”. Relacionando exageradamente "santidade" e "milagre", como se se tratasse de causa e efeito, corremos o risco de fazer crer que é o santo que opera o milagre e não a graça de Deus.

O Espírito Santo é o dom do Pai para todos os que creem em Cristo. São Pedro, no dia de Pentecostes pregou: "A promessa é para vós, bem como para todos os vossos filhos e para todos os que estão longe, quantos o Senhor, nosso Deus, haverá de chamar" - At 2,38. Qual promessa? Aquela anunciada pelo mesmo profeta: "Depois disto — diz o Senhor — acontecerá que derramarei o meu Espírito sobre todo ser vivo... Naqueles dias, derramarei também o meu Espírito sobre os escravos e escravas" - Jl 3,1.

Jesus quando enviou os seus a pregar o Evangelho disse: "aos que creem os acompanharão estes milagres: em meu nome expulsarão demônios, falarão novas línguas, pegarão em serpentes e, se beberem algum veneno mortífero, não lhes fará mal; imporão as mãos aos doentes e eles recobrarão a saúde" - Mc 16,17.

Ainda: "em verdade, em verdade vos digo: quem crê em mim fará também ele as obras que eu faço; antes, fará até maiores, porque eu vou para o Pai" - Jo 14,12. Quais foram essas obras de Jesus? Ele mesmo as mencionou aos discípulos do Batista: "ide contar a João o que vistes e ouvistes: cegos recuperam a vista, coxos andam, leprosos ficam limpos, surdos ouvem, mortos ressuscitam, aos pobres é anunciada a Boa -Nova" - Lc 7,22.

Portanto, tais obras podem fazê-las também aqueles que creem em Jesus. E para fazer as mesmas obras a condição não é a “santidade canônica”, mas que se creia n’Ele. Ele não disse: "quem é santo", mas: "quem crê em mim fará também ele as obras que eu faço". "Aos que crerem os acompanharão estes milagres". E não: aos que, por primeiro, tiverem atingido a santidade, mas aqueles que estão no caminho da santidade.

Os apóstolos e os primeiros cristãos foram homens normais e não super-homens. O Espírito de Pentecostes permaneceu e operou neles, mas como em vasos de barro. Os carismas são manifestações gratuitas do Espírito Santo e não prêmio pelas nossas virtudes. Não se manifestam em nós por uma questão de mérito, mas por bondade do doador. Os dons não são prerrogativas dos “santos”, os “perfeitos”, mas dos que creem.

Autor: Tácito Coutinho - Tatá - Moderador do Conselho da Comunidade Javé Nissi

Deixe seu comentário

Últimas


O essencial na vida cristã - 23/10/2017

A maturidade cristã - 20/10/2017

O farisaísmo é “um caminho segundo a carne” - 18/10/2017