Reflexões / Matutações

A Perseverança...

17/11/2016

Preparando o Retiro do Compromisso, tomei a Carta aos Hebreus com o intuito de refletir sobre a perseverança e deparei-me com um versículo que chamou minha atenção: “Estejamos atentos uns aos outros, para nos incentivar ao amor fraterno e às boas obras” – Hb 10,24. O contexto é a exortação para ter confiança em Jesus Cristo como Sumo Sacerdote, que nos obteve o perdão e o acesso a Deus, o perigo da apostasia e a exortação à perseverança, que é o que procurava. 

O versículo traz um ensinamento importante e atual sobre três aspectos da vida cristã: prestar atenção ao outro, a reciprocidade e a santidade. Fiquei matutando e anotei alguns pontos que poderiam servir para as meditações.

- “Estejamos atentos uns aos outros”: a responsabilidade pelo irmão. É um convite a fixar o olhar no outro, a começar por Jesus, e estar atentos uns aos outros, a não se mostrar alheio e indiferente ao destino dos irmãos. Infelizmente, com frequência, prevalece a atitude contrária: a indiferença, o desinteresse, que nascem do egoísmo, mascarado pelo “respeito ao espaço do outro”. O Senhor nos chama a cuidar do outro, nos pede para sermos o “guarda” dos nossos irmãos - Gn 4, 9, que inclui o bem espiritual. O “mandamento” é amar como Ele nos ama – Jo 15,12

- “Uns aos outros”: a reciprocidade. Sermos “guarda” dos outros implica procurar o que “leva à paz e à edificação mútua” - Rm 14, 19, favorecendo o “próximo no bem, em ordem à construção da comunidade” - Rm 15, 2, sem buscar “o próprio interesse, mas o do maior número, a fim de que eles sejam salvos” - 1Cor 10,33. Este empenho, em espírito de humildade e de amor, deve fazer parte da vida da comunidade cristã. Os discípulos do Senhor vivem numa comunhão que os liga uns aos outros como membros de um só corpo. Isto significa que a vida do outro e sua salvação têm a ver com a minha vida e a minha salvação. Que os membros tenham a mesma atenção e estima uns para com os outros - 1Cor 12,25, porque somos um e o mesmo corpo.

- “Para nos incentivar ao amor fraterno e às boas obras”: caminhar juntos na santidade. A afirmação nos faz considerar a vocação à santidade como o caminho da vida espiritual, a aspirar aos carismas mais elevados e a um amor cada vez mais alto e fecundo - 1Cor 12,31. A atenção recíproca tem como finalidade o amor fraterno. O tempo é precioso para realizar as boas obras, no amor de Deus e assim crescer até à plena maturidade de Cristo - Ef 4,13, à plenitude do amor e das boas obras. Infelizmente, está sempre presente a tentação da tibieza, de sufocar o Espírito, de “esconder” o talento que nos foi dado para bem nosso e dos outros – Mt 25,25. Que o amor fraterno nos una uns aos outros, com terna afeição, rivalizando-nos em atenções recíprocas - Rm 12,10.

O mundo de hoje exige dos cristãos um renovado testemunho de amor e fidelidade ao Senhor e aos irmãos. É preciso despertar a urgência de nos empenhar no amor, no serviço ao irmão e nas obras boas de santidade - Heb 6, 10.

Autor: Tácito Coutinho - Tatá - Moderador do Conselho da Comunidade Javé Nissi

Deixe seu comentário

Últimas


O farisaísmo é “um caminho segundo a carne” - 18/10/2017

O fermento dos fariseus - 17/10/2017

Os tempos atuais não são fáceis.. - 16/10/2017