Reflexões / Matutações

Negar a si mesmo

26/07/2016

Jesus disse que deveria ir a Jerusalém para sofrer, ser morto e, ao terceiro dia, ressuscitar. Pedro se revolta! Tudo parece ficar escuro em seu no coração. Como é possível que “Cristo, o Filho de Deus vivo”, possa sofrer até à morte? Pedro não aceita este caminho e diz ao Senhor, tomando-o a parte: ”Deus não permita tal coisa”! Fica evidenciado a divergência entre o desígnio de amor do Pai, e as expectativas, desejos e projetos do Apóstolo.

Também nos dias atuais vemos esta contradição: quando a realização da vida está orientada exclusivamente para o sucesso social, o bem-estar físico e a prosperidade econômica. Não se raciocina segundo Deus, mas segundo os homens. Pensar segundo o mundo significa desconsiderar Deus não aceitando seu projeto de amor e, mesmo tentando impedir sua realização. Jesus diz a Pedro uma palavra dura: Vai para trás de mim, Satanás! Não tens em mente as coisas de Deus! O caminho dos cristãos é seguir o Crucificado, ir após Ele, é “perder-se a si mesmo”, sendo isso “necessário para o homem e sem o qual ele não pode encontrar-se a si mesmo”. – Bento XVI.

O cristão segue o Senhor quando aceita com amor à própria cruz, que aos olhos do mundo parece uma derrota e uma “perda da vida”. “Misteriosamente, o próprio Cristo, para desenraizar do coração do homem o pecado de presunção e manifestar ao Pai uma obediência total e filial, aceita... morrer na cruz”. – Paulo VI Aceitando a morte voluntariamente, Jesus carrega a cruz de todos os homens e torna-se fonte de salvação para toda a humanidade. “A cruz vitoriosa iluminou quem estava cego pela ignorância, libertou quem estava preso pelo pecado, trouxe a toda a humanidade a redenção”. – São Cirilo de Jerusalém (meditando Mateus 16,21-28)

Autor: Tácito Coutinho - Tatá - Moderador do Conselho da Comunidade Javé Nissi

Deixe seu comentário

Últimas


Conversão - 15/12/2017

O conteúdo do Natal nos Padres da Igreja - 14/12/2017

Perdemos o senso do Natal! - 13/12/2017