Reflexões / Matutações

Viver no amor

15/07/2016

O que salva o homem é viver no amor. É esse o "fruto que permanece”. O sinal mais evidente da autêntica experiência de fé é a alegria, serena e expansiva, característica fundamental das primeiras comunidades (At 2,46), "que exultavam em hinos e cânticos espirituais”. Muitas vezes falta-nos, aos domingos, o clima de festa que brota do Senhor ressuscitado, não só nas celebrações litúrgicas, mas também no contexto do dia, sobretudo quando as insatisfações de uma vida sem sentido se desviam para bebedeiras e dormideiras intermináveis. É a "síndrome do fim de semana", com suas múltiplas formas de fuga. Cada cristão em suas relações são chamados a tornar presente, em seus encontros, a alegria pascal. É um reflexo e, ao mesmo tempo, um estimulo do amor mútuo, da amizade sem barreiras, na lógica dos amigos de Jesus.

O amor de Deus, que nos chega através de Cristo Jesus, se reflete numa alegria entusiasmante e estimulante da unidade fraterna. Isto não é algo etéreo e distante. Segundo o desígnio do Senhor, explicitado em suas palavras, a relação que Ele se propõe a estabelecer com os seus é uma comunhão de amizade. A igualdade, que vive com o Pai e o Espírito Santo, passa a sua relação com os discípulos e se transforma em norma para a nova vida comunitária que se inaugura entre eles.

(meditando João 15,11)

Autor: Tácito Coutinho - Tatá - Moderador do Conselho da Comunidade Javé Nissi

Deixe seu comentário

Últimas


O essencial na vida cristã - 23/10/2017

A maturidade cristã - 20/10/2017

O farisaísmo é “um caminho segundo a carne” - 18/10/2017