Reflexões / Matutações

Os Santos Reis

05/01/2018

Dia 6 de janeiro, dia “dos Santos Reis”. Lembranças de minha infância, do “reisado”, ou “Folia de reis”... Festa nascida religiosa e hoje é folclore... Fiquei matutando...

Quando lemos de maneira racional, objetiva, a visita dos “reis magos”, “reis” pela tradição, pois o texto não diz isso – Mt 2,1, muitas perguntas podem surgir: onde Jesus estava? Que estrela é essa? Perguntas sem respostas... Mas se lemos a partir da fé, podemos aprender algumas coisas... “Quando aparece uma maravilha no céu, acontece uma maravilha na Terra. Quando acontece uma maravilha na Terra, há um reflexo no céu” – JB Libânio.

“Vimos a sua estrela no Oriente e vemos adorá-lo”. – Mt 2,2. Aquela estrela quer dizer também que apareceu uma Estrela na Terra! O ser humano procura – e como procura! – essa Estrela. Foi Deus que semeou em nosso coração esse desejo insaciável de alegria, de paz, de felicidade. Isso é o que move o ser humano em sua grande maioria. Não é verdade?

Aí está o trágico: nós não conseguimos nos dar a felicidade que queremos. Seria tão fácil se conseguíssemos nos dar a felicidade que queremos, porque seríamos felizes. Cada um daria para si o tamanho da felicidade que queria, mas não conseguimos, por isso vivemos buscando.

Por que não conseguimos nos dar a felicidade que queremos? Por que queremos uma felicidade infinita e nós não somos infinitos. A nossa busca é insaciável, logo não podemos nos saciar. O que pode saciar o insaciável? Só o infinito e o infinito nós não nos podemos dar. Esse é o problema. Essa é a raiz profunda de todas as nossas angústias.

A grande promessa do sistema moderno é que vamos produzir todos os bens necessários para saciar-nos, mas não conseguimos negar o infinito e essa é a grande ilusão da sociedade, essa é a grande ilusão do consumismo, saciar a sede do infinito com coisas não infinitas!

 O Homem pós-moderno, inquieto, insatisfeito e desejoso, mesmo que não pareça ou queira ocultar, por algo mais profundo, significativo, verdadeiro. Busca por um sentido maior, uma razão, uma resposta para o seu vazio interior. O relativismo que tenta abafar essa sede do homem não esta mais conseguindo calar a sua consciência e necessidade do sobrenatural, de infinito. O homem tem sede de Deus! “Inquieto está o nosso coração enquanto não repousa em Deus” – S. Agostinho

 Os “reis magos” encontraram a realização de sua Estrela diante do Menino. E o que eles viram no Menino? Viram Deus feito homem, Emanuel. Viram a resposta de Deus para as angústias e desejos humanos. Viram o Amor feito homem!

Autor: Tácito Coutinho - Tatá - Moderador do Conselho da Comunidade Javé Nissi

Deixe seu comentário

Últimas


E como crerão naquele que não ouviram? - 12/01/2018

Você faz alguma coisa ou só prega? - 11/01/2018

Mundo de informações... podemos filtrar o que é bom? - 10/01/2018