Reflexões / Matutações

O conteúdo do Natal nos Padres da Igreja

14/12/2017

Continuei matutando o conteúdo do Natal nos Padres da Igreja... Uma sentença recorrente nos escritores cristãos antigos sintetiza o significado profundo do Natal: Deus fez-se homem para que o homem venha a ser divino. Santo Agostinho (+430), Bispo de Hipona, foi um dos que mais matutou sobre o mistério do Natal e da encarnação do Verbo.

 “Hoje nasceu para nós o Salvador. Nasceu, portanto, para todo o mundo o verdadeiro sol. Deus Fez-se homem para que o homem se fizesse Deus. Para que o escravo se tornasse senhor, Deus assumiu a condição de servo. Habitou na terra o morador do céu para que o homem, habitante da terra, pudesse encontrar morada nos céus” – S. Agostinho.

 “Ele está deitado numa manjedoura, mas contém o universo inteiro; mama num seio materno, mas é o pão dos anjos; veio em pobres panos, mas reveste-nos de imortalidade; é amamentado, mas é também adorado; não encontrou lugar na estalagem, mas constrói para si um templo no coração dos seus fiéis. Tudo isto para que a fraqueza se tornasse forte e a prepotência se tornasse fraqueza. Por isso, não só não menosprezamos, mas mais admiramos o seu nascimento corporal e reconhecemos neste acontecimento quanto a sua imensa dignidade se humilhou por nós” – S. Agostinho.

 A Palavra vinda do Céu fecundou a terra e desta brotou a verdade e a justiça. O Menino que nasce é o Filho de Deus e também filho de Maria, isto é, o Menino de Belém é todo Deus e todo homem: “Aquele que estava deitado na manjedoura fez-se frágil, mas não renunciou à sua condição divina; assumiu aquilo que não era, mas permaneceu aquilo que era. Eis que temos diante de nós Cristo menino: cresçamos juntamente com Ele” - S. Agostinho.

 “Chama-se dia do Natal do Senhor a data em que a Sabedoria de Deus se manifestou como criança e a Palavra de Deus, sem palavras, imitou a voz da carne. A divindade oculta foi anunciada aos pastores pela voz dos anjos e indicada aos magos pelo testemunho do firmamento. Com esta festividade anual celebramos, pois, o dia em que se realizou a profecia: A verdade brotou da terra e a justiça desceu do céu - Sl 84,12. Neste dia, o Verbo de Deus revestiu-se de carne e nasceu de Maria virgem. Nasceu de modo admirável”... – S. Agostinho.

 Advento, tempo propício para preparar nosso coração para acolher a Verdade que vem à Terra...

Autor: Tácito Coutinho - Tatá - Moderador do Conselho da Comunidade Javé Nissi

Deixe seu comentário

Últimas


E como crerão naquele que não ouviram? - 12/01/2018

Você faz alguma coisa ou só prega? - 11/01/2018

Mundo de informações... podemos filtrar o que é bom? - 10/01/2018