Reflexões / Matutações

A obediência

03/10/2017

Achei uma antiga anotação feita durante uma pregação do Padre Raniero Cantalamessa, em “1990 e bolinha”... Num Encontro de Líderes, em Aparecida - SP, no auditório da Rádio Aparecida.

 A obediência aparece como a chave de leitura de toda a história da Redenção, de onde toma sentido e valor. “Cristo fez-se obediente até a morte, e morte de cruz” - Fl 2, 8; “pela obediência de um só todos serão constituídos justos” - Rm 5, 19; “com o que sofreu, aprendeu a obediência, e levado à perfeição, converteu-se em causa de salvação eterna para todos os que lhe obedecem” - Hb 5, 8-9.

 Como Jesus foi obediente? Desde criança, obedeceu a seus pais; quando adulto submeteu-se à lei mosaica; na a Paixão acartou a sentença do Sinédrio, de Pilatos… Mas a obediência que nos interessa é aquela obediência ao Pai!

 “Aquele pecado que havia aparecido por obra do lenho, foi abolido por obra da obediência sobre o lenho, pois obedecendo a Deus, o Filho do homem foi cravado no lenho, destruindo a ciência do mal e introduzindo e fazendo penetrar no mundo a ciência do bem. O mal é desobedecer a Deus, como obedecer a Deus é o bem... Assim, pois, em virtude da obediência que prestou até a morte, colocado no lenho, eliminou a antiga desobediência ocorrida no lenho” - Santo Ireneu de Lyon (+202).

 No Novo Testamento o dever da obediência é vista quase sempre como a obediência a Deus. Fala-se também de outras “obediências” - 1Pd 2,13, mas com menor frequência. Obediência mesmo é sempre para indicar a obediência a Deus.

 A obediência consiste em escutar a Deus que fala, na Igreja, através de seu Espírito, o qual ilumina as palavras de Jesus e de toda Bíblia e confere a elas autoridade, fazendo delas canais atuais vontade de Deus para nós. Ouvir e por em prática, é nisso que consiste a obediência. Mesmo que isso redunde em dor e sacrifício.

 “A obediência a Deus é como o fio central que sustenta uma teia de aranha. Baixando desde cima pelo fio que ele mesmo fabrica, o inseto constrói sua teia, perfeita e estendida a todos os lados. No entanto esse fio que pende do alto, que serviu para tecer a tela, não se rompe uma vez terminada a obra; e mais, é o que desde o centro sustenta toda a trama; sem ele, tudo se afrouxa. Se se desprende um dos fios laterais, a aranha se emprega em rapidamente reparar sua teia, mas se se rompe aquele fio do alto, afasta-se; sabe que não há nada que fazer”. – padre Raniero Cantalamessa.

 A obediência a Deus é esse fio do alto: tudo se construiu a partir dele; mas não ser esquecido nem sequer depois de que se construiu a construção. No caso contrário tudo entra em crise. Hoje ouvimos que a obediência já não é uma virtude!

 Mas por que é tão importante obedecer a Deus? Por que a Deus importa tanto ser obedecido? Certamente não pela satisfação de mandar e de ter súditos! É importante porque obedecendo fazemos a vontade de Deus, queremos as mesmas coisas que quer Deus, e assim realizamos nossa vocação originária, que é a de ser “a sua imagem e semelhança”. Estamos na verdade, na luz, e “em seu querer se encontra nossa paz”. – Dante Alighieri.

Autor: Tácito Coutinho - Tatá - Moderador do Conselho da Comunidade Javé Nissi

Deixe seu comentário

Últimas


O essencial na vida cristã - 23/10/2017

A maturidade cristã - 20/10/2017

O farisaísmo é “um caminho segundo a carne” - 18/10/2017