Reflexões / Matutações

Voltando de Missão...Perguntaram-me sobre a RCC

27/09/2017

Depois da pregação... Perguntaram-me sobre a RCC e seus objetivos. Para não usar a expressão tão comum: “eu penso que”, preferi citar os Estatutos do ICCRS (Escritório Internacional da RCC), que tem seus Estatutos reconhecidos pela Santa Sé (Decreto 1565/93 AIC-73), no Pontifício Conselho para os Leigos (Pontificium Consilium pro Laicis), conforme o Cânon 116 do Código de Direito Canônico, em 1993.

___ A Renovação Carismática Católica (RCC) é uma graça de renovação no Espírito Santo com um caráter mundial e muitas expressões na Igreja Católica, mas não é nem uniforme, nem unificada, não tem um único fundador nem um grupo de fundadores e não possui listas de membros. Mas é um fluxo de graça que permite que indivíduos e grupos se expressem em diferentes formas e maneiras de organizações e atividades, muitas vezes independentes umas das outras, em diferentes estágios e modos de desenvolvimento, com ênfases diferentes. "No entanto, elas compartilham da mesma experiência fundamental e aderem aos mesmos objetivos gerais”.

___ Este modelo de relacionamentos independentes é encontrado em níveis diocesanos e nacionais, como também em nível internacional. Estes relacionamentos são muitas vezes caracterizados por livre associação, diálogo e colaboração, mas do que por integração dentro de uma estrutura ordenada. A liderança é caracterizada mais por oferecimento de serviço aqueles que o querem do que por governança. Em várias realidades, a RCC se organiza como um Movimento Eclesial, mas há também estruturas como Comunidades, Associações, Escolas de Evangelização, Estações de TV, Institutos Religiosos e Seminários, como também Editoras, Músicos, Missionários e Pregadores. Todos estes, embora não formalmente associados em uma estrutura específica, tem um perfil "carismático".

Os objetivos centrais da RCC, ou da Renovação Carismática Católica, como também é chamada, incluem:
___ 1. Promover a conversão pessoal madura e contínua a Jesus Cristo, nosso Senhor e Salvador;
___ 2. Promover uma receptividade decisiva e pessoal à Pessoa, presença e poder do Espírito Santo. Estas duas graças espirituais são muitas vezes experimentadas juntas no que é chamada, em diferentes partes do mundo, como Batismo no Espírito Santo, ou como uma liberação do Espírito Santo, ou uma renovação do Espírito Santo. Elas são mais comumente entendidas como uma aceitação pessoal das graças da iniciação cristã e como uma capacitação para o serviço pessoal cristão na Igreja e no mundo;
___ 3. Promover o recebimento e uso dos dons espirituais (carismas) não somente na RCC, mas também na Igreja mais ampla. Estes dons, ordinários e extraordinários, são encontrados abundantemente entre os leigos, religiosos e clérigos. Seu entendimento adequado e uso, em harmonia com outros elementos da vida da Igreja, são uma fonte de fortalecimento para os cristãos em sua jornada em direção à santidade e ao desempenho de sua missão;
___4. Promover o trabalho de evangelização no poder do Espírito Santo, incluindo a evangelização dos que não professam uma religião, da re-evangelização daqueles que se dizem cristãos, da evangelização da cultura e das estruturas sociais. A RCC promove especialmente a partilha na missão da Igreja, proclamando o Evangelho em palavras e ações e dando testemunho a Jesus Cristo através de testemunho pessoal e através das obras de fé e justiça para as quais cada um é chamado;
___5. Partilhar o crescimento na santidade através da integração adequada destas ênfases carismáticas com a vida plena da igreja. Isto é realizado através da participação na vida litúrgica rica e sacramental, da valorização da tradição da oração e espiritualidade Católicas e da formação na doutrina Católica, sob orientação do Magistério da Igreja e pela participação no plano pastoral da Igreja.

Autor: Tácito Coutinho - Tatá - Moderador do Conselho da Comunidade Javé Nissi

Deixe seu comentário

Últimas


O farisaísmo é “um caminho segundo a carne” - 18/10/2017

O fermento dos fariseus - 17/10/2017

Os tempos atuais não são fáceis.. - 16/10/2017