Reflexões / Matutações

Vida no Espírito

19/09/2017

Estava preparando um ensino para a Comunidade e em meio “a organizada desorganização” de minhas anotações e encontrei uma “matutação” que está bem dentro da inspiração de “voltar ao primeiro amor”. Reproduzo “tar e quar” encontrei...

 O batismo no Espírito Santo é uma experiência que opera em nós uma mudança, permitindo-nos experimentar a sua presença e a sua ação em nós. Esta experiência continuada chamamos de “vida no Espírito”: “Se vivemos pelo Espírito, caminhemos também sob o impulso do Espírito” – Gl 5,25.

 A missão do Espírito é formar a vida de Cristo em nós por meio da sua presença, como formou Cristo em Maria. É dar a vitalidade do homem interior - Ef 3,16. É nos fazer crescer até a plenitude, até chegarmos todos juntos à unidade da fé, ao pleno conhecimento do Filho de Deus, ao estado de homem perfeito, até alcançarmos a medida da plena estatura de Cristo - Ef 4,13.

 Sem esgotar o tema, podemos dizer que a “vida no Espírito” constitui-se: (1) da vida sob o Senhorio de Jesus; (2) da busca da Santidade; (3) do engajamento missionário; (4) da vida em Comunidade.

 A vida sob o senhorio de Jesus – são Paulo exorta: “Portanto, assim como recebestes a Cristo Jesus, (como) Senhor, assim nele andai, arraigados nele, sobre ele edificados, e apoiados na fé, como aprendestes e transbordando em ação de graças”- Cl 2,6. Significa, portanto, viver obediente a Ele, e fazendo de seus princípios e valores os princípios e valores de nossa vida. A vida sob o Senhorio de Jesus exige uma forte e decisiva contribuição à evangelização dos povos e no serviço aos pobres. Jesus Cristo é o Senhor! Esta declaração, tão forte no início da RCC, é fruto do Espírito agindo em nós – 1Cor 12,3.

 Buscar a santidade - a vida de Deus em nós, ou seja, a santidade, exige sempre uma transformação ou mudança: a conversão. Por ela passaram todos os santos. O crescimento no Espírito implica, primeiramente na a morte do nosso eu e para o pecado para que Cristo viva plenamente em nós. "Pelo batismo fomos sepultados com ele em sua morte, para que, como Cristo foi ressuscitado dos mortos, pela ação gloriosa do Pai, assim também nós vivamos uma vida nova” - Rom 6,4. Implica numa mudança radical do coração buscando não se acomodar ou conformar com o mundo, mas conhecer e fazer efetivamente a vontade de Deus - Rm 12,2. Ou seja, “como filhos obedientes” é preciso nos tornar santos, “em todo nosso proceder”, “pois está escrito: sereis santos porque eu sou santo” – 1Pd 1,14.

 Engajamento missionário – o chamado à santidade está ligado ao chamado para a missão. O crescimento na santidade acarreta o anseio irresistível de dar testemunho vivo e dinâmico da Boa Nova da salvação. Ao fazer nos fazer "santos", o Espírito de Deus cria testemunhas radiantes do Cristo Ressuscitado e dá nova força e criatividade para alcançar toda a sociedade humana com o espírito do Evangelho.

 Vida em Comunidade – o primeiro fruto de Pentecostes foi a comunidade cristã – At 2,42. Discípulos de Cristo, unidos entre si, às vezes até à partilha dos bens. Os primeiros cristãos aparecem como uma comunidade apostólica, assídua ao ensinamento dos apóstolos; uma comunidade fraterna sustentada por reuniões e relacionamentos; uma comunidade eucarística, que celebra o memorial do Senhor, "até que ele venha"; uma comunidade de oração. “O batismo no Espírito Santo produz um chamado inequívoco para a vida em comunidade” – Cardeal Suenens.

Autor: Tácito Coutinho - Tatá - Moderador do Conselho da Comunidade Javé Nissi

Deixe seu comentário

Últimas


Conversão - 15/12/2017

O conteúdo do Natal nos Padres da Igreja - 14/12/2017

Perdemos o senso do Natal! - 13/12/2017