Reflexões / Matutações

RCC - batismo no Espírito Santo

14/09/2017

Matutava... Aquilo que identifica e distingue a Renovação Carismática Católica dentre outras expressões da Igreja, é a leitura, a maneira como ela interpreta o significado do Pentecostes histórico ocorrido em Jerusalém logo após a ascensão de Jesus. E a RCC - e não somente ela! - identifica esse evento ocorrido naquela festa de Pentecostes com o chamado batismo no Espírito Santo, especialmente em decorrência da afirmação do próprio Jesus, quando ordenou aos apóstolos "que não se afastassem de Jerusalém, mas que esperassem aí o cumprimento da promessa de seu Pai, (...) vós sereis batizados no Espírito Santo daqui a poucos dias! (...), pois descerá sobre vós o Espírito Santo e vos dará força e sereis minhas testemunhas em Jerusalém, em toda a Judéia e Samaria e até os confins do mundo” - Atos 1,4ss.

 Esse texto está no núcleo essencial da experiência que marca aqueles que se identificam com a RCC. Com a consequente manifestação dos carismas que o Espírito em sua liberdade concede, dão visibilidade à própria identidade da RCC, pois, “a pertença ao que chamamos de Renovação Carismática não se realiza primordialmente através de uma estrutura ou opção por um tipo diferenciado de espiritualidade, ou da aceitação de uma doutrina, (...), mas sim através de uma experiência, de um novo encontro com uma pessoa divina, que dá à nossa vida um novo horizonte espiritual, um novo envio, um novo impulso missionário, uma acelerada disposição em nosso processo de conversão pessoal rumo à santidade... ao que chamamos batismo no Espírito Santo”! – 2º Cong. Teológico da RCC, 2006, conclusões.

 Para a Renovação Carismática, ser batizado no Espírito significa, de modo especial: entregar-se significativamente ao Espírito (não só sentir-se "tendo-o", mas, sentindo-se d’Ele!); deixar-se conduzir pelo Espírito, (não apenas ser por Ele "habitado", mas ser guiado por Ele, rumo a Jesus e à santidade); ter a sabedoria, a percepção do Espírito, daquilo que é revelado nas Escrituras; abrir-se à vida de oração, aos sacramentos, à vida da comunidade fraterna (um novo entendimento das coisas de Deus); receber uma nova disposição missionária e o exercício de ministérios (especialmente para a pregação com poder...); ter a força (prometida) de Deus - inclusive para ser capaz de suportar afrontas, humilhações, por causa do nome de Jesus (caminho que vai da "renúncia a si mesmo" até o martírio, se preciso for).

 "No fundo do movimento pentecostal existe - não obstante todas as diferenças – uma convicção comum: é que o batismo no Espírito Santo é um acontecimento extremamente importante e pode dar-se na vida de qualquer cristão. É o fundamento de uma plena "vida-no-Espírito" de cada cristão e da Igreja de Cristo como um todo; é o fundamento da vida de oração e do testemunho missionário" – Piet Schoonemberg, Experiência do Espírito.

 Trata-se, pois, de experiência concreta da graça da perenidade de Pentecostes, na qual a ação do Espírito Santo torna-se realidade experimentada na vida do indivíduo e da comunidade de fé. Trata-se de "ser batizado no Espírito, receber força, e testemunhar a Jesus Cristo” – D. Paulo Cordes.

 Trata-se de um novo envio, nova capacitação, nova percepção a respeito da pessoa do Espírito, que age, hoje, aqui e agora, na história dos homens, e não simplesmente de adesão a um modismo espiritual com conotações extravagantes, de aleluias, línguas estranhas, repouso no Espírito. Isso tudo pode ocorrer, mas, será legítimo tanto quanto mais acolhermos e nos abrirmos ao relacionamento pessoal com essa pessoa divina.

 Quem se diz pertencer à RCC deve "carregar em si mesmo as marcas” dessa experiência, de se deixar, de se permitir ser conduzido pelo Espírito Santo!

Autor: Tácito Coutinho - Tatá - Moderador do Conselho da Comunidade Javé Nissi

Deixe seu comentário

Últimas


O farisaísmo é “um caminho segundo a carne” - 18/10/2017

O fermento dos fariseus - 17/10/2017

Os tempos atuais não são fáceis.. - 16/10/2017