Reflexões / Matutações

O ativismo

21/08/2017

Estava matutando: será que as urgências da missão, as atividades de nossa comunidade, não têm tomado o precioso tempo de estar com Deus? Ainda mantemos o hábito da leitura espiritual sem a preocupação de alguma tarefa apostólica, ou pregação? Ainda temos a alegria de recitar um Salmo em voz alta pela manhã?

 A resposta, para muitos, é sim! Mas, infelizmente não é para todos. A diminuição da vida espiritual, da vida de oração, deve ser procurada nos fatores de nossa própria vida e apostolado. Sabemos que a falta vida interior leva ao esgotamento espiritual, que torna a vida cristã insuportável, pois se torna somente uma obrigação.

 O ativismo não poder gerar um “entulhamento” tal que não temos mais como nos dedicar à oração. O diabo, inimigo atento, introduz em nossos corações o engano de que estamos perdendo tempo enquanto rezamos, e que é urgente “fazer as coisas estão aí por fazer”. Vivemos num mundo que nos chama para fora e mesmo as urgências e os apelos à participação das ações pastorais, criam em nós este estado de tensão.

 Nós que somos filhos de Deus sabemos que o ponto de encontro essencial com o mistério, com Deus, está dentro de nós, no quarto interior do nosso espírito, na oração pessoal. É nesta atitude de procura, de escuta, de súplica, de docilidade – Jo 6,45, que a ação de Deus nos alcança, ilumina, dá o senso das coisas reais e invisíveis de seu Reino; fortalece-nos e forma-nos como Ele o quer.

 A oração é a escola dos santos, é a vocação dos sacerdotes, é o ofício diário das almas consagradas, é a união da família, é o vigor dos inocentes, a graça e a força da juventude, a esperança dos idosos, o conforto dos doentes, a energia do apostolado, o poder da pregação...

 Não nos cansemos de estar na presença do Deus amoroso, este misterioso Outro, que nos olha, nos ama e certamente não seremos iludidos e abandonados, mas experimentaremos a alegria nova de uma resposta entusiasmada: Eis-me aqui – Is 58, 9. 

Autor: Tácito Coutinho - Tatá - Moderador do Conselho da Comunidade Javé Nissi

Deixe seu comentário

Últimas


A maturidade cristã - 20/10/2017

O farisaísmo é “um caminho segundo a carne” - 18/10/2017

O fermento dos fariseus - 17/10/2017