Reflexões / Matutações

Hino do Oriente a Nossa Senhora

19/07/2017

Estava preparando uma meditação “mariana” e encontrei nas minhas anotações este hino a Nossa Senhora. O AKATHISTOS é um hino litúrgico que, desde há quinze séculos a Igreja Grega canta para celebrar o mistério da Mãe de Deus. 

 

O mais excelso dos anjos

Foi enviado dos céus

Para dizer “Ave” à Mãe de Deus

Á saudação Angélica

Vendo-se nela feito homem, Senhor,

Em êxtase permaneceu, acalmando assim a Mãe

Ave, por vós a glória resplandece;

Ave, em vós foi erguido o Trono do Rei;

Ave, vós carregais Aquele que tudo sustenta;

Ave, Virgem e Esposa!

 

Maria bem sabia

Ser a Virgem sagrada e a Gabriel assim dizia:

A vossa singular mensagem, incompreensível a minh’alma se apresenta:

De seio virginal um parto predizeis, exclamando:

Aleluia!

 

Desejava a Virgem entender o mistério e ao anjo divino perguntava:

Poderá meu seio virginal dar à luz uma criança? Dizei-me!

E Aquele, reverente, aclamando-a assim dizia:

Ave, guia para o supremo conselho;

Ave, geraste luz inefável;

Ave, Virgem e Esposa!

 

A Virtude do Altíssimo cobriu e tornou Mãe

A Virgem que núpcias desconhecia;

Aquele seio, fecundo pelo Alto,

Qual campo fecundo, tornou-se para todos

Que querem a salvação acolher, assim cantando:

Aleluia!

 

Com o Senhor no seio, solícita Maria subiu e falou a Isabel.

O menino no seio da mãe ouviu a virginal saudação, exultou,

E pulando de alegria cantava a Mãe de Deus:

Ave, Sarmento de Santo rebento;

Ave, dais a vida ao Autor da vida;

Ave, Virgem e Esposa!

 

Com o coração agitado, entre pensamentos contrários,

O sábio José oscilava:

Embora vendo-vos intacta – suspeita secretos esposais,

Ó ilibada!

Ao saber que Mãe éreis pelo Espírito Santo, exclamou:

Aleluia!

 

Os pastores ouviram o cântico dos Anjos ao Cristo

Que desceu até nós.

Correndo para ver o Pastor, o viram como cordeirinho inocente,

Nutrindo-se no seio da Virgem, e a ela alçaram o canto:

Ave, Mãe do Cordeiro – Pastor;

Ave, redil de fiel rebanho.

Ave, Virgem e Esposa!

 

Observando a estrela que guiava o Eterno, seguiram os Magos seu fulgor.

Foi para eles segura candeia  na procura do Poderoso Senhor.

O Deus tendo alcançado, o aclamaram felizes:

Aleluia!

 

Os Magos contemplaram, nos braços maternos do homem o Sumo Artífice.

Sabendo que Ele era o Senhor, ainda que em aspecto de servo, solícitos apresentaram-lhe os dons,

Dizendo à Mãe feliz:

Ave, Mãe do Astro perene;

Ave, sois o júbilo de todas as gentes;

Ave, Virgem e Esposa!

 

Pregoeiros de Deus, se fizeram os Magos no caminho de retorno.

Cumpriram o vosso vaticínio e vos anunciaram, ó Cristo, a todos, desprezando Herodes, o estulto, incapaz de cantar:

Aleluia!

 

Irradiando para o Egito, o esplendor da verdade, do erro as trevas expulsaram:

Os ídolos então, Senhor, por força divina, enfraquecidos, caíram;

E os homens, salvos, a Mãe de Deus aclamavam:

Ave, desforra do gênero humano;

Ave, mar que engoliu o grande faraó;

Ave, Virgem e Esposa!

 

Estava para deixar este mundo falaz Simeão inspirado ancião.

Como criança fostes apresentado, mas, em vós reconheceu o Senhor perfeito,

E, boquiaberto, admirando a eterna sabedoria, exclamou:

Aleluia!

Autor: Tácito Coutinho - Tatá - Moderador do Conselho da Comunidade Javé Nissi

Deixe seu comentário

Últimas


Conversão - 15/12/2017

O conteúdo do Natal nos Padres da Igreja - 14/12/2017

Perdemos o senso do Natal! - 13/12/2017