Reflexões / Matutações

O “fogo da pregação"

29/06/2017

Ouço por aí a expressão “pregação de fogo”, “pregador de fogo”, confesso que esta expressão me causa estranheza. Perguntaram-me certa vez: “você é pregador de fogo”? Como estava num daqueles dias em que a “vó está atrás do toco” respondi: “não bebo para pregar”... Entendo e sei o que esta expressão - “pregador de fogo” - quer dizer, e já pedi perdão por minha resposta “atravessada”... Mas este fato levou-me a matutar.

 "A minha palavra e a minha mensagem - escreve Paulo - nada tinham dos discursos convincentes da sabedoria; eram uma demonstração do Espírito e da força de Deus. Assim a fé que vocês receberam não se baseia na sabedoria dos homens, mas no poder de Deus" - 1Cor 2,4. Fico matutando: é preciso distinguir o anúncio feito "no poder do Espírito Santo" daquele que é feito somente com os recursos “da oratória e do prestígio da sabedoria”... É preciso anunciar o “Evangelho no Espírito Santo" - 1Pd 1,12.

 “O Evangelho é o conteúdo do anúncio, o Espírito Santo é o método, isto é, o caminho ou o modo, o princípio operativo, o agente principal da evangelização" – Paulo VI. Existe um falar profético, ou "no Espirito" e é nele que se realiza a palavra de Jesus: "não sereis vós que falareis, mas o Espírito do vosso Pai falará em vós” – Mt 10,20; este "Espírito do Pai” será uma eloquência e uma sabedoria “que nenhum dos inimigos vos poderá resistir ou rebater” – Lc 21,15. Os inimigos poderão matar aquele que testemunha Cristo, mas não contestar o testemunho... Estevão!

 Por que as palavras de Pedro no dia de Pentecostes tiveram tanta eficácia, senão porque nelas falava o Espírito de Deus? O que compunge o coração daquelas três mil pessoas e as convence do pecado, senão o Espirito Santo? É preciso estar seguros, dispondo-se a anunciar a palavra de Deus, que o Espírito Santo esteja conosco e principalmente que nós estejamos com o Espírito. Como?

 O primeiro meio é a oração. O Espírito Santo vem sobre os apóstolos, enquanto eram "assíduos e unânimes na oração" – At 1,14 pois o “Pai celeste dá o Espírito Santo àqueles que o pedem" - Lc 11,13.

 O segundo meio é a obediência, no sentido, sobretudo de submissão e adesão á vontade de Deus. Deus dá o Espírito Santo "àqueles que lhe obedecem" - At 5,32. Deus dá o seu poder, a sua autoridade àqueles que aceitam até plenamente a sua vontade. O Espírito Santo não pode agir em alguém que está ainda apegado á sua vontade. Não é ouvido pelos homens senão quem "ouve" a Deus, isto é, lhe obedece.

 O terceiro meio é o amor àqueles para os quais se é enviado a anunciar o Evangelho. Deus fala por amor. O "sopro" de Deus é sopro de amor. Por que Deus fala para os homens? Porque nos deu seu Filho Jesus Cristo: "Deus amou tanto o mundo que deu seu Filho único” - Jo 3,16. Aquele que prega deve entrar nesta "economia" do amor. Deve amar os homens, os abandonados, os pecadores, para poder dar a eles a palavra de vida. Não se pode dar Jesus, pela palavra senão pelo amor.

 Deus censura o mal humorado profeta Jonas que foi pregar aos ninivitas sem amar os ninivitas – Jn 4,10. Deus teve “mais trabalho” para converter o pregador do que aos pecadores de Nínive! O amor é o “fogo” que conduz a palavra, e sabemos que esse “fogo”, o “amor de Deus foi derramado em nossos corações pelo Espírito Santo que nos foi dado” – Rm 5,5.

 O amor, o Espírito Santo é à força da Palavra, o “fogo da pregação”!

Autor: Tácito Coutinho - Tatá - Moderador do Conselho da Comunidade Javé Nissi

Deixe seu comentário

Últimas


O farisaísmo é “um caminho segundo a carne” - 18/10/2017

O fermento dos fariseus - 17/10/2017

Os tempos atuais não são fáceis.. - 16/10/2017