Reflexões / Matutações

Você está disposto a seguir Cristo ao Calvário?

30/11/2016

Nestes dias em que “sobrava tempo” e que ainda não era possível ler... “Perdi o sono”... e sem justificativa alguma, lembrei-me de uma história que alguém contou, ou foi numa pregação que escutei, ou li em algum lugar... Não sei...

Diz a história que um pregador foi convidado para falar a uma plateia onde muitos eram avessos à fé e ao Evangelho. Um auditório heterogêneo formado de ateus a indiferentes e inimigos da Igreja. Com muito entusiasmo falava da vida cristã e de seguir Jesus Cristo... No meio da pregação levantou-se um homem e perguntou: “você está disposto a seguir Cristo ao Calvário, por causa de suas convicções? Só isso quero saber, o resto não me importa!”

Ao me lembrar desta história, meu coração de “um pulo”... fiquei matutanto...

Se fosse eu o pregador, o que responderia? O que responderiam os cristãos de hoje? Este é o exame fundamental que nos é proposto: tomar a cruz e seguir no mesmo caminho de Cristo. Seguir o Cristo do Calvário! Isto escandalizou Pedro! – Mt 16,21. Desconcertante!

Seguimos o Cristo de Belém, na manjedoura, ternura e inocência que despertam o melhor que há em nós; seguimos o Cristo de Nazaré, carpinteiro como José, quando construímos o mundo com nosso trabalho cotidiano; seguimos o Cristo de Caná nas alegrias que a vida nos proporciona; seguimos o Cristo do Poço de Jacó que sacia nossa sede de eternidade; seguimos o Cristo de Naim que nos consola das dores de nossas perdas; seguimos o Cristo do Tabor, das Bem-aventuranças...

O chamado para seguir o Cristo do Calvário implica em perder a vida: “quem quiser salvar sua vida a perderá; e quem perder sua vida por causa de mim a encontrará” – Mt 17, 25. O Cristo do Calvário “não tem aparência bela nem decorosa para atrair nossos olhares, nem aspecto para que nele nos comprazamos” – Is 53,2. “Foi desprezado e evitado pelos homens”, “carregou nossas dores” e “as culpas de todos nós”... Maltratado, sofria, mas “não abria a boca”. – Is 53,7.

A pergunta ainda estava em meus ouvidos aguardando uma resposta... Examinei minha vida e, sem mentir, percebi que procuro responder sinceramente todos os dias: sim, estou disposto a seguir Cristo ao Calvário. Embora às vezes tenha recuado e minhas fraquezas, quedas e medos aumentem as dificuldades. Mas decididamente disposto a ir até o fim... teimosamente disposto a seguir o Cristo do Calvário.

De madrugada, rezei pedindo, que quando chegar a noite de minha vida, possa dizer consolado a quem quiser ouvir: andei com esse Homem que está no Calvário! Estive com Ele em Belém, em Nazaré e Caná; no Poço de Jacó, na Montanha das Bem-aventuranças e no Tabor... Sim, eu conheço esse Cristo Crucificado e tenho certeza que Ele me reconhecerá!

Autor: Tácito Coutinho - Tatá - Moderador do Conselho da Comunidade Javé Nissi

Deixe seu comentário

Últimas


O farisaísmo é “um caminho segundo a carne” - 18/10/2017

O fermento dos fariseus - 17/10/2017

Os tempos atuais não são fáceis.. - 16/10/2017