Reflexões / Matutações

É da Cruz que Cristo governa

18/11/2016

De tarde, rezando para o Retiro do Compromisso e a Assembleia do Cristo Rei, estava lá na Cruz que fica no pasto que chamo de “Campo de Pentecostes”. A Cruz fica na parte mais alta do terreno da Casa de Oração e “preside” as atividades que acontecem aqui. É da Cruz que Cristo governa, é na Cruz que Cristo se torna Rei!

 Sentado, à sua sombra, matutava...

 Somos marcados pela Cruz, assinalados, impregnados por ela, como se a Cruz estivesse cunhada no fundo do nosso ser. E quanto mais vivemos à sua sombra, mais nos tornamos cristãos. Muitos sentem aversão pela Cruz, devido ao sofrimento que ela recorda. S. Pedro inicialmente recusou este caminho: “Deus não permita tal coisa, Senhor! Que isto nunca não te aconteça!” – Mt 16,22. Seria um escândalo aceitar a humilhação do “Filho do Deus vivo” – v.16.

 Cristo recrimina Pedro e exorta os Apóstolos a uma mudança de mentalidade, pois não tinham “em mente as coisas de Deus e sim as dos homens” – v.23. Mais do que a compreensão do Mistério da Cruz, exige uma profunda conversão: “Se alguém quer vir após mim, renuncie a si mesmo, tome sua cruz e siga-me” – Mt 16,24.

 A Cruz manifesta o Mistério da Misericórdia. Deus nos perdoa mediante os méritos do Filho Unigênito, cujo sacrifício redentor lavou a mancha do pecado: “Deus não poupou seu Filho, mas por todos nós O entregou” - Rm 8,32 e o Filho amando, livremente se entregou por nós, por mim - Gl 2,20. Aqui está a suprema misericórdia: Ele foi obediente até a morte e morte de cruz - Fl 2,8, assumindo a dor e o vexame de ser despido e exposto à zombaria.

 “Quando eu for levantado da terra, atrairei todos os homens a mim” - Jo 12,32. A expressão resume a obra redentora de Cristo, na qual se fundamenta a missão de cada um de seus seguidores.

 Olhando para a cruz, os ímpios diziam: “Se és o Filho de Deus, desce da cruz!” - Mt 27,40. Mas não desceu, permaneceu na cruz exatamente por ser Filho de Deus! Porque seu alimento é cumprir a vontade do Pai - Jo 4,34. Aquela seria a sua Hora, o seu verdadeiro batismo, que Ele esperava ansiosamente que se realizasse - Lc 12,50: “Tudo está consumado” - Jo 19,30. “Pai, nas tuas mãos entrego o meu espírito” - Lc 23,46.

 Depois do pecado de Adão, do sangue de Abel, e de tantos profetas, mortos por causa da pregação da verdade, a terra foi abençoada pelo sangue de Cristo. “Que o sangue dele recaia sobre nós e nossos filhos!” - Mt 27,25: a afirmação blasfema da multidão, incitando Pilatos à condenação de Jesus, transformou-se em bênção e salvação.

 Cai a tarde... Rezo pedindo que o seu sangue caia sobre mim, sobre minha família, e sobre os “filhos e filhas” que vieram da Missão. Que seu sangue caia sobre tudo isto que vejo daqui, toda a JAVÉ NISSI que foi edificada somente graças a Deus e apesar de nossas deficiências...

 

Contemplando o Cristo pendente da Cruz, gotejando seu sangue sobre a terra, pedi: “Lavai-me, totalmente, de minha falta, e purificai-me de meu pecado” - Sl 50 (51),4.

Autor: Tácito Coutinho - Tatá - Moderador do Conselho da Comunidade Javé Nissi

Deixe seu comentário

Últimas


O conteúdo do Natal nos Padres da Igreja - 14/12/2017

Perdemos o senso do Natal! - 13/12/2017

Dia de Nossa Senhora de Guadalupe - 12/12/2017