Reflexões / Matutações

Viver a fé no “mundo” é um desafio...

14/11/2016

Um jovem cristão, no “entusiasmo” da primeira conversão, procurou-me para conversar... Falou sobre as dificuldades em viver a fé. Partilhou, com tristeza, que a escola, o grupo de amigos e, vezes, até a família, são empecilhos, devido ao relativismo, ateísmo, cultura secularista e hedonista... Reclamava do assédio constante de pessoas e grupos para ele deixasse as reuniões, missões... Observei: interessante, muitas vezes isso na própria família!

Fiquei matutando... O momento presente é cheio de contrastes e contradições. É verdade que a sociedade humana deu passos para uma maior fraternidade, solidariedade e reconciliação, mas também é verdade que com frequência os homens se deixam guiar por ideologias e lógicas que são ditadas “pelo egoísmo, pelo próprio interesse, pelo lucro, pelo poder, pelo prazer, e não são ditadas pelo amor, pela busca do bem do outro” – Papa Francisco.

Viver a fé no “mundo” é um desafio. Nunca faltam ocasiões que exigem de nossa parte coerência e coragem para manifestar o que cremos. Vergonha, medo, desconforto, e outras coisas tentam nos impedir de viver segundo nossa identidade cristã. Imersos numa “cultura de morte”, somos desafiados a viver, com coerência, nossas convicções de fé para iluminar, com o Evangelho de Cristo, um mundo cada vez mais incrédulo.

Observo, com tristeza, que há muitos cristãos imersos em um agnosticismo funcional onde, embora digam acreditar em Deus, vivem como se Deus não existisse, numa profunda ruptura entre a vida cotidiana e a fé. São “cristãos” na vida privada, mas na vida pública são homens e mulheres “do mundo”, vivendo segundo o mundo e não segundo Deus. Muitas vezes são esses “cristãos” ou “pseudocristãos” os causadores das dificuldades para a vivência da fé.

Viver no mundo, sem ser do mundo, é um chamado exigente. Sabemos que nada do humano é alheio à fé, portanto, devemos fazer com que a luz de Cristo ilumine cada espaço do mundo e da vida das pessoas. O cristão não só deve viver sua fé no mundo atual, como também deve fazê-lo integralmente: pensando como cristão, sentindo como cristão e atuando como cristão. Isso nos levará, muitas vezes, a sermos com o Cristo foi: “sinal de contradição” – Lc 2,34.

O cristão é uma pessoa de fé. Não se pode ser cristão sem ter-se encontrado com Cristo, pois cristão é quem é “de Cristo” e no qual habita seu Espírito – Rm 8,9b. A fé nasce do encontro com o Deus vivo manifestado em Jesus Cristo Nosso Senhor. Deus nos chama e revela seu amor para que vivamos com convicção e saibamos sobre “qual rocha” – Mt 7,24 construímos nossa vida.

Como terminou a conversa com aquele jovem? Bom, recordei as palavras que o Senhor Jesus dirigiu a seus discípulos: “Eu digo isso para que, por estarem unidos comigo, vocês tenham paz. No mundo vocês terão problemas; mas tenham coragem! Eu venci o mundo!” – Jo 16,33

Autor: Tácito Coutinho - Tatá - Moderador do Conselho da Comunidade Javé Nissi

Deixe seu comentário

Últimas


O farisaísmo é “um caminho segundo a carne” - 18/10/2017

O fermento dos fariseus - 17/10/2017

Os tempos atuais não são fáceis.. - 16/10/2017