Reflexões / Matutações

Comunidade, partilha da vida

06/10/2016

Sem nenhum aviso prévio ou motivo, lembrei-me do dia que “inventei de fazer uma comida”, e alguns irmãos-amigos da comunidade vieram testar a fé. Fazer a comida, rir dos palpites, depois sentar à mesa, rezar a oração de S. Marcos – tomarão veneno e não lhes fará mal – comer e ficar na mesa... Como é bom!

A lembrança despertou a saudade daquele dia e levou-me a matutar, novamente: como é bom os irmãos estarem juntos...

Há uma variedade enorme de modelos de comunidades, no sentido em que as pessoas podem morar juntas e relacionar-se de muitas maneiras. Mesmo dois estranhos num elevador são de algum modo, uma comunidade, enquanto trocam "rumor social" superficialmente. O mesmo acontece com as pessoas que moram na mesma pensão ou hotel, quando mutuamente se conhecem sem muita profundidade de interesse.

Qualquer grupo de pessoas que quisesse trabalhar num projeto comum, numa paróquia, escola, hospital, orfanato, poderia concordar em morar no mesmo prédio e ser um tipo de comunidade sem muito amor umas pelas outras. Elas poderiam até concordar em rezar juntas, sem experimentarem o sentimento profundo de ser comunidade diante de Deus.

O modelo cristão de vida em comunidade é realmente outra coisa. Tem duas coisas que em outros agrupamentos faltam: amor e amizade fraterna. Estas dimensões conduzem aos níveis mais profundos de comunicação e relacionamento do que os outros modelos de comunidade. Os membros da comunidade cristã "seguindo a verdade em amor, crescem em tudo em díreção àquele que é a Cabeça, Cristo" - Ef 4,15.

Os membros da comunidade cristã preocupam-se uns com os outros, partilham a vida, suportam e submetem-se uns aos outros e servem o Reino de Deus em sua vida privada e no mundo. Para aqueles a quem falta a fé e a experiência do Espírito, este estilo de vida é impossível e loucura.

Para a nós cristãos é real! Jesus o revelou a nós quando falava de sua vida com o Pai e o Espírito Santo e orava para que vivêssemos como eles: "Não rogo somente por eles, mas pelos que, por meio de sua palavra, crerão em mim: a fim de que todos sejam um, como tu, Pai, estás em mim e eu em ti; que eles estejam em nós..." - Jo  17,20.

Contemplemos na fé, exatamente porque “Eles” são "um", exigem nossa resposta cristã! Ela está realmente bem acima da simples vida em comum, da mera tática de "bom relacionamento social, educado", do simples envolvimento num “projeto de trabalho” ou de qualquer tipo de manipulação recíproca.

Olhando para Deus e usando termos humanos, veremos três pessoas que são realmente "um", porque formam uma comunidade por causa do amor: são “um só coração”!

Além da saudade, despertou a vontade... “de inventar uma comida” e chamar os homens e mulheres de fé...

Autor: Tácito Coutinho - Tatá - Moderador do Conselho da Comunidade Javé Nissi

Deixe seu comentário

Últimas


O essencial na vida cristã - 23/10/2017

A maturidade cristã - 20/10/2017

O farisaísmo é “um caminho segundo a carne” - 18/10/2017