Reflexões / Matutações

Uma carta aos jovens

30/08/2016

A Igreja é sempre jovem, confia e conta com a juventude! Ela precisa do entusiasmo e criatividade da juventude. Eis o desafio: ser jovem na e com a Igreja! .

A juventude é o tempo de busca dos grandes ideais, tempo dos sonhos. Tempo em que se prepara para o futuro. O Beato João Paulo II, dizia aos jovens: “Não tenhais medo! Abri as portas das vossas almas e dos vossos corações a Cristo”. O encontro com Ele “dá à vida um novo horizonte e, desta forma, um rumo decisivo” (Deus caritas est 1). Em Cristo encontramos a força e a coragem para avançar nos caminhos da vida, superando as dificuldades e o sofrimento. N’Ele, encontramos a fonte da alegria. Esta é a verdadeira revolução trazida por Cristo: a do amor!

Jovens, não permitam que as dores do crescimento e amadurecimento, as possíveis frustrações e incompreensões os levem a buscar refúgio em “lugares estranhos”: as drogas de todo o tipo ou o mundo triste da pornografia. Quanto às redes sociais, são interessantes, mas, porém, não substituem o relacionamento presencial da comunidade, da família, do grupo e ainda podem gerar dependência, alienação e confusão entre o real e o virtual. É preciso viver relações ricas de amizade verdadeira e nobre.

Jovens, busquem iniciativas que deem sentido e raízes à vida, lutando contra a superficialidade e o consumismo fácil. Não se deixem seduzir pelo dinheiro – este ídolo que cega até ao ponto de sufocar a pessoa e o seu coração. Busquem realizar a “vocação para a qual somos chamados” e não façam do dinheiro um ideal, pois não se pode servir a Deus e ao dinheiro (Lc16, 13). Procurem bons mestres, guias espirituais que saibam indicar o caminho para a maturidade, pondo de lado o que é ilusório, fútil e mentira.

Jovens, procurem o que é belo, aquela beleza que encantou Agostinho, alegrem-se fazendo o bem. Deem testemunho da grandeza e dignidade do corpo, que “é para o Senhor” (1Cor 6, 13). Conservem a bondade e a retidão dos corações puros

Sejam os portadores do amor de Cristo, voltando-se sem reservas para Deus, que é Pai e medida do que é “bom, justo e verdadeiro”. Procurem ouvir a Palavra de Deus, descubram a novidade e a atualidade do Evangelho. Rezem. A oração, os sacramentos são os meios seguros e eficazes para ser cristão e viver “enraizados e edificados em Cristo, firmes na fé” (Cl2, 7). Busquem conhecer o tesouro da fé recebida no Batismo. Aprofundem o seu conteúdo através do estudo do Catecismo, assim a fé será viva e vivida.

Tornem-se, desta forma, testemunhas do amor de Cristo aos outros. Ele inaugurou na Cruz a revolução do amor. “Amai-vos uns aos outros como Eu vos amei” (Jo 13, 34). Este é o testamento de Jesus e o sinal do cristão e a verdadeira revolução do amor.

 

Autor: Tácito Coutinho - Tatá - Moderador do Conselho da Comunidade Javé Nissi

Deixe seu comentário

Últimas


O conteúdo do Natal nos Padres da Igreja - 14/12/2017

Perdemos o senso do Natal! - 13/12/2017

Dia de Nossa Senhora de Guadalupe - 12/12/2017