Reflexões / Matutações

A Consciência Cristã

08/08/2016

Com relação à consciência “Santo Agostinho escreve: O órgão que faz experiência do valor é o coração; este conceito, contudo, não deve ser entendido em termos sentimentais... o coração é espírito, espírito em contacto com o sangue, espírito que arde na incandescência e incandescência que ilumina" (Guardini in Ética).

A consciência moral não pode ser uma variável sociopsicológica, especialmente em relação aos valores fundamentais, porque a consciência se nutre e se esclarece sempre como um juízo da razão, emitindo valor objetivo das nossas ações. A consciência é a voz do coração, mas de um coração inundado pela luz da verdade do Evangelho, a verdade revelada em Jesus Cristo.

A Gaudium et Spes recorda: "A consciência é o núcleo mais secreto do homem, o santuário onde ele está a sós com Deus, cuja voz ressoa no seu íntimo... Pela fidelidade à consciência, os cristãos, unidos aos outros homens, devem procurar a verdade e resolver com acerto os numerosos problemas morais, que se apresentam tanto na vida individual, como na comunidade social" (n. 16).

Então, é preciso falar de formação da consciência cristã e de como esta consciência cristã pode influir na construção da vida e do bem comum, sem abrir mão da parresia e da justiça. É preciso deixar claro que o ato conclusivo da consciência consiste em assumir responsabilidades diante da história que se projeta para a Parusia. Não podemos nos omitir. 

Autor: Tácito Coutinho - Tatá - Moderador do Conselho da Comunidade Javé Nissi

Deixe seu comentário

Últimas


O essencial na vida cristã - 23/10/2017

A maturidade cristã - 20/10/2017

O farisaísmo é “um caminho segundo a carne” - 18/10/2017