Reflexões / Matutações

Amar os inimigos

27/06/2016

A nova maneira de viver se concretiza num ato de amor que cria um ambiente novo no qual as pessoas se salvam. A comunidade cristã não vive de um amor romântico, mas de um amor ativo na dimensão do amor do Pai. Jesus nos apresenta as exigências do novo tipo de amor. O amor ao inimigo é o que melhor exprime e realiza a gratuidade do ato de amor, à semelhança do amor do Pai.

É o amor que toma a iniciativa, sabe perdoar e transforma o ódio em atos concretos de amor que promove o bem dos outros. Ensina que é no ato de amor criativo que o homem se toma, de fato, a imagem de Deus: não se trata de uma reciprocidade medíocre e mesquinha, e sim da iniciativa gratuita que se preocupa em dar o primeiro passo para fazer o bem ao próximo. Jesus chama a atenção para uma atitude puramente natural: qualquer um ama e faz o bem àquele que o ama e lhe faz o bem.

Contudo, o cristão deve ir além de uma simples benevolência recíproca!Pois é somente assim que se poderá viver como filhos daquele que ama gratuitamente, sem fazer acepção de pessoas.

(meditando Lucas 6,27-49)

Autor: Tácito Coutinho - Tatá - Moderador do Conselho da Comunidade Javé Nissi

Deixe seu comentário

Últimas


O essencial na vida cristã - 23/10/2017

A maturidade cristã - 20/10/2017

O farisaísmo é “um caminho segundo a carne” - 18/10/2017