Reflexões / Matutações

Vida no Espírito

23/06/2016

O amor de Deus, que se revela em Cristo Jesus, nos convida a uma vida nova. Por outro, o mundo nos pressiona com a fascinante presença dos ídolos e das ideologias, das luzes deslumbrantes da razão e da ciência, que acabam por escravizar-nos. Santo Agostinho diz que são duas cidades "mescladas e construídas em um só terreno: o coração humano”. Assim não se escapa à divisão interior cujo sinal é o sofrimento do mundo (não confundir com um "dualismo"). Implanta-se então uma luta, que nos abriga a escolher, decidir, renunciar.

A história apresenta sinais onde é preciso discernir os sinais de Deus, que convidam a construir o Reino entre nós pela fé, promotora da salvação dos homens. Compete ao Espírito de Deus realizar este discernimento, atuando em nós como o Advogado, o defensor da causa de Cristo e, consequentemente, de nossa fé. Diante do senhorio do mundo - fechado ao plano de Deus - defende o senhorio de Cristo Jesus, que está intimamente ligado à civilização do amor.

(meditando João 14,15-21)

Autor: Tácito Coutinho - Tatá - Moderador do Conselho da Comunidade Javé Nissi

Deixe seu comentário

Últimas


O essencial na vida cristã - 23/10/2017

A maturidade cristã - 20/10/2017

O farisaísmo é “um caminho segundo a carne” - 18/10/2017